Transpetro paga R$ 650 mil reais aos trabalhadores através de ação do SINDCONGRU

Em ação do nosso departamento jurídico, SINDCONGRU garantiu pagamento das verbas rescisórias a todos os trabalhadores demitidos da Polo Engenharia

0
73

Depois de muita negociação e mediação no Ministério do Trabalho, finalmente os trabalhadores demitidos da Polo Engenharia começam a receber suas verbas rescisórias.

Entenda o processo:

No rompimento de contrato de trabalho, a Polo Engenharia alegava que não tinha capital para pagar seus débitos com os 70 trabalhadores demitidos porque a Transpetro não havia feito o repasse do dinheiro.

Após diversas paralisações e rodadas de negociação, a direção do SINDCONGRU pediu uma mediação pelo Ministério do Trabalho, com a participação das empresas Polo Engenharia e Transpetro.

Na mesa redonda de negociação, a Polo Engenharia voltou a alegar que não tinha dinheiro para pagar os trabalhadores demitidos, por conta da falta de pagamento da Transpetro.

A Transpetro alegava que não tinha responsabilidade com os trabalhadores e também não poderia pagar o saldo devedor para Polo Engenharia enquanto ela não apresentasse a medição do trabalho realizado.

O SINDCONGRU ficou no meio desse fogo cruzado alegando que os trabalhadores não poderiam e nem devem pagar pelos erros burocráticos das duas empresas e, através do seu departamento jurídico, pegou os documentos da mesa redonda e fez o pedido oficial de Arresto.

A justiça concedeu uma liminar para que a Transpetro depositasse os valores numa conta judicial até que o juiz decidisse sobre o pagamento dos trabalhadores.

No final de outubro de 2018, o juiz defiriu a nossa ação e autorizou o SINDCONGRU a levantar os valores da conta judicial e realizar o pagamento das verbas rescisórias de todos os trabalhadores.

Vitória do SINDCONGRU, vitória dos trabalhadores da construção civil que tiveram a todo momento a proteção de um sindicato que luta pelos seus trabalhadores.